Buscar

Conheça os empresários que apoiam o surf de Cabo Frio

Depois de 4 meses de trabalho realizando a cobertura do surf local, o Blog Cutback ‘identificou” a maior reclamação dos atletas e amantes do esporte: falta de apoio aos atletas. Entretanto, em Cabo Frio, há apoio de onde menos se espera. Três empresários locais ajudam por conta própria o surf do município, seja com apoio a atletas ou em campeonatos, eles estão sempre presente. O que chama atenção, além de não quererem tanto prestígio – como eles mesmo pregam – dois dos negócios nem fazem parte da linha da modalidade. Isso não quer dizer que seja o ideal, mas é um começo que agrega muito quem vive do esporte.

Um tem depósito de bebidas, outro um local de lanches e o terceiro – do ramo – tem uma loja especializada em surf. O Cutback buscou entender melhor do porquê ajudar o surf sem esperar um retorno. Ao serem perguntados sobre “por qual motivo você resolveu apoiar o surf?”, todos foram unânimes: “por gratidão”, responderam.

Marcelo, além de empresário, é surfista nas horas vagas. Foto: Acervo Pessoal

Marcelo Duarte Silva, da loja de lanches, disse que o seu “apoio a esse esporte é uma forma de gratidão, a tudo de bom que o surf proporciona a quem curte e pratica. Já que desde os meus 12 anos de idade, quando morava longe da praia, me deslumbrava com as matérias, fotos e posters de revistas de surf que hoje estão extintas. E por outro lado, vejo a dificuldade de talentosos e dedicados surfistas de Cabo Frio em manterem suas puxadas rotinas de treinos Minha empresa é pequena, atinge somente o município de Cabo Frio e circunvizinhança. Mas como tudo tem um começo, é uma satisfação estar participando do começo da vida de qualquer atleta, como é o caso dos talentosos surfistas Pablo [Gabriel] - filho de Paulo Pequeno - e o Vitor Gabriel”, falou.

Mathias também surfa e isso o ajudou no apoio aos atletas. Foto: Acervo Pessoal

Mathias Junio, do depósito, afirmou que “uma empresa que apoia esporte seja qual for é vista com bons olhos pela sociedade e pela mídia e isso gera uma boa visibilidade para a empresa. Esse apoio é necessário principalmente quando o esporte necessita de investimentos para que aconteçam eventos. Eu como adepto do surf e amo o esporte optei investir nele”, relatou.




Marcio Storm, da loja Storm Shop, relata que “desde o primeiro dia que pensei na abertura da loja, sempre o surf foi o motivo principal. Eu pego onda há muito tempo, o surf está presente na minha vida de forma muito intensa, mesmo não dando tempo de pegar onda como eu queria, eu durmo e acordo pensando em surf. E a equipe que trabalha comigo também é assim. Todos que estão comigo desde o começo são

Como os demais, Marcio também é surfista. Foto: Acervo Pessoal

envolvidos com o surf e o skate. Uns mais outros menos, mas eu exijo essa pegada. A nossa ideia não é “apoiar” um campeonato ou outro. A nossa ideia é realmente ter o surf vivo aqui na região. Cabo Frio poderia ser um celeiro de talentos, mas a instabilidade econômica atrapalha muito isso. Na real, a única exposição desses surfistas com algum talento para o surf é através de campeonatos. Nisso o Brasil está muito atrasado em relação a outros países. Na Califórnia, Austrália ou Hawaii é comum uma molecada do free surf já ter patrocínio”, disse.

O surf competição sempre foi caro para se manter e os empresários sabem disso. Ao serem perguntados “qual a perspectiva para os surfistas da cidade?”, as respostas foram contundentes e diretas.

Marcelo: “A minha perspectiva é fazer parte desse processo, e ver alguém se despontando para uma carreira promissora, e que esse atleta venha ser exemplo de luta e conquistas para as gerações vindouras, já que ultimamente, nossas crianças e jovens foram atingidos por estímulos a uma vida promíscua e desregrada, por parte dos poderes constitucionais nas últimas décadas”.

Mathias: “Cabo Frio hoje tem nome de peso na cena do surf carioca, o Pablo Gabriel, que vem se destacando muito em todos campeonatos que participa. Tem a Karol Ribeiro, que também tem um nome muito forte na cena! E na verdade as ondas tem ajudado, o fundo da praia do forte está muito bom proporcionando altas ondas e bom treinos pra essa molecada”.

Marcio: “Não crio expectativas quanto a ‘produtividade’ dos surfistas da região. Tem gente muito boa da nova geração aqui. O Pablo Gabriel é um exemplo, evolui a cada caída, sabe competir e tem como técnico um cara que além de excelente surfista sabe também competir, que é o Paulo Pequeno, tem o freesurfer João Marcelo.. Aqui tem uma galera boa, mas não crio expectativas em cima da galera. Só de todo mundo estar pegando onda, já fico satisfeito”.

©2019 by Blog Cutback. Proudly created with Wix.com