Buscar

"É mais fácil dropar o paredão de Nazaré do que o do BBB" - Lucas Chumbo fala com o Cutback


Chumbo em um aereo insano em Nazaré. Foto: Red Bull

Dropar as bombas de Nazaré, em Portugal, já é quase impossível. Agora imagina mandar aereo naquela onda. Um brasileiro conseguiu esse feito: Lucas Chumbo. Natural de Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, o surfista já nasceu descendo as cracas de Itaúna. O Maracanã do Surf é um berço de grandes talentos, que são privilegiados por receberem as melhores ondas do Brasil, segundo relatos. Em 2015, Lucas surfou pela primeira vez em Jaws, no Havaí, onde descobriu sua verdadeira paixão. Em fevereiro de 2018, foi campeão em ondas gigantes do mundial Nazaré Challenge, vencendo as três baterias que disputou em ondas de até 6 metros, em Portugal, com 21.39 pontos, sendo a melhor pontuação de todo o campeonato. Chumbo já levou o prêmio de Melhor Performance no Big Wave Awards, a premiação mais importante da modalidade, feita pela Liga Mundial do Surf. O atleta bateu um papo com o Blog Cutback, que contou um pouco dos seus treinos, medos, de como foi encarar o BBB e muito mais! Cutback: Você é da cidade de Saquarema, que fica na Região dos Lagos. As cidades vizinhas não recebem as ondulações que o seu município recebe. Diante disso, você considera Saquarema privilegiada por essas ondas? Chumbo: Sem dúvidas esse quintal é privilegiado, temos onda durante todo o ano, de todos os tamanhos.... direitas e esquerdas perfeitas, ondas tubulares e lajes, nosso Maracanã do surfe.

Lucas também manda manobra nas marolas. Foto Divulgação

Cutback: Há pouco tempo entrevistamos o seu treinador, o Carlos Burle, e ele nos falou que você desde sempre foi 'casca grossa' e botava pra baixo nas ondas. Desde que idade você começou a pegar as maiores ondas? Chumbo: Surfo desde os meus 3 anos, com 14 surfei Waimea com 18/20 pés mas foi aos 18 que foquei no Big Surfe e tive a certeza que era isso que eu queria para minha vida. Cutback: As pessoas de fora do surf, normalmente, quando vêem os atletas nas ondas grande, têm a reação: 'esses surfistas não tem medo'. Isso é verdade? Surfista não sente medo? Chumbo: Claro que sentimos, brinco que o medo é o meu melhor amigo, preciso dele para me sentir vivo e me arriscar nas maiores ondas do mundo, é o medo que me alimenta. Cutback: Por ser de Saquarema e ter as melhores ondas da região, o seu desenvolvimento nas maiores ondas foi mais rápido? Chumbo: Com certeza Saquarema foi um treinamento intensivo para hoje ter bastante consistência no Big Surf, treino desde sempre nessas ondas mais pesadas e hoje ter uma performance diferenciada no surfe de ondas grandes é sem dúvidas resultado de toda essa minha trajetória no surf.

Aquele drop brabo! Foto: Divulgação

Cutback: O surf de ondas grandes transcendeu o esporte. Uma galera gosta de ver e acompanhar, mesmo sendo de fora da modalidade. O Gigantes de Nazaré foi transmitido por uma emissora de TV aberta e tudo mais. Como você se sente fazendo parte desse crescimento do big wave? Chumbo: É incrível ver o meu esporte sendo reconhecido e valorizado. Acho que assim como o surf tomou uma proporção bem maior o big surf também vem ganhando seu espaço e valor. Cutback: Qual foi a sensação do primeiro drop em Nazaré? Você estava totalmente preparado ou, a partir da primeira onda, você viu que precisava treinar mais? Chumbo: Foi ali que eu vi eu senti que o Big Surfe era o meu lugar e treinar só me deixaria mais consistente para o que eu realmente amo.

Lucas dropando Mavericks. Foto: Divulgação

Cutback: Como está sendo a quarentena? Está tirando pra ficar com a família, está treinando...? Chumbo: Estou passando a quarentena em Saquarema e confesso que tem sido bem difícil ficar longe do mar mas, temos que respeitar as autoridades e agora é o que deve ser feito, ficar em casa. Para passar o tempo, acho que o que todo mundo tem feito, assistido série, ficado com a família, treinos em casa... Cutback: O que é mais 'fácil' para você: dropar as ondas gigantes ou enfrentar um paredão no BBB? (risos) Chumbo: Com certeza sou muito mais preparado para os paredões de Nazaré do que para o paredão do BBB, mas confesso que foi mais difícil do que doprar uma onda gigante. Cutback: Para finalizar: deixe um recado para a galera do surf. Chumbo: Galera, estamos todos com saudade do mar mas vamos ficar em casa e quando isso tudo passar, vamos aproveitar intensamente dessa nossa fonte de energia que é o mar.

©2019 by Blog Cutback. Proudly created with Wix.com