Empresário de Cabo Frio apoia o surf local por amor ao esporte

Viver e trabalhar com que ama é um privilégio para poucos. Em Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, um empresário conseguiu unir a sua paixão pelo surf com o seu trabalho e construiu uma das maiores cadeias de surf shops do interior do Rio. Wagner Oliveros, local da cidade, iniciou no esporte muito novo e se interessou a empreender no meio da modalidade aos 15 anos, quando alugava e vendia pranchas para conhecidos. A Fly Sports conta com muitas lojas nas cidades da Baixada Litorânea, respirando surf e outros esportes radicais. Na próxima quinta-feira (4) Wagner inaugura mais uma loja, mas essa é exclusiva para pranchas. Wagner faz questão de apoiar eventos e novos talentos locais. O empresário conversou com o Cutback sobre o seu início no surf, das suas lojas e mais. Confira! Cutback: O que te motivou a começar a surfar?

Wagner: Desde os 6 meses minha mãe me levava à praia e sempre amei o mar desde os 3 anos já ia para a praia e me arriscava no bodyboard. Com 11 anos realizei meu sonho infantil e fiz minha primeira aula de surf com Barrel e fiquei em pé surfando ondas no canto do forte. Daí para frente meu amor pelo surf só aumentou e sempre me mantive conectado com o mar.

Wagner em dia de free surf. Foto: Divulgação

Cutback: Você tem uma das maiores lojas de surf shop da Região dos Lagos. A paixão pelo surfe o fez querer abrir a Fly?

Wagner: Agradeço muito ao elogio, mas reconheço que na região temos várias lojas boas também. Mas a história da Fly é bem peculiar e traz muito do amor pelo esporte e pela nossa cidade também. Comecei minha trajetória empresarial quando tinha 15 anos de idade trabalhando duro nas areias da Praia do Forte dando aulas de surf e vendendo pranchas usadas para alunos, amigos e conhecidos. Depois como uma evolução abri a fábrica de pranchas Fly Surfboards; o nome Fly foi criado pois a ideia era fazer pranchas feitas para voar. Com o passar do tempo e depois de muito trabalho a Fly se tornou uma loja de esportes radicais, onde o surf sempre teve o maior espaço, porém outros esportes também foram muito bem representados, além de várias marcas do cenário nacional e internacional. Sempre trazendo novidades com preços acessíveis e condições de pagamentos especiais. Pois sempre esteve presente no DNA da nossa empresa conseguir através dos esportes e do empreendedorismo transformar a sociedade positivamente.

Cutback: Tu sempre apoiou o esporte local. Você sabe da importância que isso tem?

Wagner: As nossas empresas sempre incentivaram vários tipos de eventos locais além de atletas também. Pois entendemos que isso é muito importante para desenvolver a nossa cidade e agregar a imagem de nossa empresa.

Cutback: O que falta para o surfe da região voltar a ter um nome no WT?

Wagner: O que falta é uma associação de surf forte, que tenha o diálogo com a federação [do estado do Rio de Janeiro] e também com o governo municipal. Agregando várias partes da economia para desenvolver o esporte. Como consequência vários nomes bons surgirão e quem sabe uma nova revelação do surf mundial.

Acertando a paulada. Foto: Divulgação

Cutback: Mais um grande empreendimento seu em volta do surfe está para inaugurar. O que podemos esperar?

Wagner: Por incrível que pareça, com essa loja estarei realizando um sonho antigo, de ter em nossa rede de lojas uma loja específica de pranchas e acessórios de surf. Uma loja com o DNA só de pranchas de surf e toda a essência do esporte. Estaremos inaugurando essa loja no dia 04/03 [4 de março] onde estão todos convidados. Vai rolar um evento com coquetel e banda surf music, seguindo todas as recomendações de segurança. Uma loja que contará com várias pranchas gringas e nacionais, roupas de borracha, além de vários acessórios de surf. A loja foi feita com muito carinho e amor onde a paixão pelo esporte fez toda a diferença na arquitetura e nos produtos.

Cutback: A Fly virou uma referência em qualidade. Ter essa vibe do surfe fez com que tomasse essa proporção?

Wagner: Sem dúvidas, sim. Em todas as nossas equipes temos vendedores que vivem o surf e pegam onda. Eles conhecem na prática tudo sobre o esporte e sabem auxiliar na venda de produtos. Além de trazer a leveza e harmonia do mesmo.

Cutback: Pretente ajudar ainda mais o surfe local a se desenvolver?

Wagner: Tenho interesse em fomentar mais o esporte em nossa cidade e em breve estarei doando uma parte do meu tempo para ajudar a ele crescer em nosso município.