Jovem surfista de Tamoios conserta pranchas e sonha em ser competidor

A Região dos Lagos é famosa pelas suas ondas de Saquarema, Arraial, Búzios e uma parte de Cabo Frio. Mas o que poucos sabem, que em um lugar não tão longe, existem ondas que são aproveitas por surfistas no segundo distrito de Cabo Frio. Tamoios tem diversas gerações no surf e o jovem João Pedro Moreira é local da região.

Além de surfar, João trabalhou numa fábrica de pranchas da sua área e aprendeu a laminar, lixar e consertar pranchas. Atualmente ele tem sua própria oficina de pranchas em casa e compra seus equipamentos através dessa renda dos consertos. Com 17 anos, o surfista tem o apoio da Boardreams, disputa campeonatos locais e esteve entre os 28 melhores atletas na última edição do estadual amador da FESERJ, onde competiu pela primeira vez.


O Cutback conversou com o João para entender sua relação com o surf e saber dos seus objetivos. Confira!

João em dia de free surf. Foto: Divulgação

Cutback: Você mora em uma região onde as ondas são de vento, inconstantes. E como veio a sua vontade de surfar?

João: Eu tinha uns 13 anos e um vizinho me deu uma prancha de quilha, quase sem laminação e sem quilha. Eu já pegava umas ondas de bodyboard e foi tranquilo pra pegar o jeito do drop em pé, mesmo com a prancha quebrada.

Cutback: Qual a sua referência de surfe em Tamoios?

João: Eu considero muito a galera da antiga que me incentivou, me deu uns toques e me ajudou a evoluir. Mas não tem uma pessoa específica.

Cutback: Você tem uma vontade muito grande em evolução, em mostrar mais do seu surfe. Tu treina quantas vezes por semana? Faz preparação fora d'água?

João: Costumo surfar em qualquer condição e quantas vezes der. Me preparo pouco fora da água, faço uns exercícios em casa umas duas vezes por semana e só.

Floater no quintal de casa. Foto: Nando Sunset

Cutback: Tu mesmo conserta as suas pranchas e até mesmo dos amigos. De onde veio esse trabalho? Quem o ensinou?

João: Eu trabalhei um tempo com um shaper daqui da área e aprendi o básico de laminação, lixação e consertos. Acabei sendo dispensado e comecei a consertar pranchas em casa. Hoje a renda pra eu comprar meus equipamentos vem desse trabalho.

Cutback: Como foi a sua experiência no último circuito estadual amador? Foi a sua primeira vez na Feserj?

João: Foi alucinante, uma experiência incrível. Óbvio que eu queria ter tido um resultado melhor, mas foi a minha primeira participação em campeonatos e valeu demais a experiência. Fiz amizades com pessoas incriveis e não vejo a hora de participar do próximo.

Cutback: Quais seus objetivos no meio do surfe, se profissionalizar?

João: Eu quero viver do surf. Já tinha essa vontade antes, mas depois que eu trabalhei fabricando as pranchas isso se tornou uma certeza, existem vários caminhos e eu ainda não defini o meu. Mas o objetivo é viver do surf e ajudar a mudar o surf local.

Cutback: Deixa um recado para os surfistas da sua região que querem competir e seguir no surfe.

João: O recado é não desistir, correr atrás e viver. Se é seu sonho, seu objetivo, cai pra dentro.

1 comentário