Phil Rajzman aproveita grande swell na Região dos Lagos

O swell que chegou à Região dos Lagos deixou muita gente animada com as condições de filme. Phil Rajzman, bicampeão do mundo de longboard (2007 e 2016), foi um dos surfistas a aproveitar as belas e tubulares ondas do secret em Cabo Frio. Segundo Phil, ele já estava de olho nessa ondulação junto com a galera do Pico Certo (especialistas em previsões) fazia uma semana. "Eu estou em contato direito com o pessoal do Pico Certo, é uma galera que é oceanógrafo e estuda toda a geologia da região e a formação de tempestades e grandes swells. Elas vêm nesse período do ano de sul e sudeste e já estava previsto, já estava se falando há uma semana sobre esse swell", disse.


Phil ainda falou sobre a inconstância do local e que se não fosse por isso o lugar poderia receber eventos importantes. "Sem dúvida nenhuma, essa onda é uma das mais incríveis que eu já surfei aqui no Brasil, infelizmente é uma onda que não é tão constante assim, mas a região toda se for falar de Cabo Frio ou se for ainda falar sobre a Região dos Lagos é excelente para todos os níveis de surf. A gente tem a etapa de Saquarema que acontece há anos, mas certamente não seria o único lugar com altas ondas na região para acontecer etapas do mundial tanto de longboard quanto de pranchinha", falou.

Imagens: Davi Realle


O bicampeão mundial acredita que a onda é perfeita para treinos e colocação em tubos. "Sem sombra nenhuma de dúvida, é uma das ondas mais apropriadas para treinar colocação de tubos no Brasil. Se fosse comparar com beach break, daria para comparar principalmente com o México, fundo de areia, fora isso muito similar a Backdoor lá no Hawaii, que é um dos tubos mais conhecidos do mundo, mais respeitado. Muito similar com The Box que é uma onda super tubular, apesar de essas duas últimas que eu citei tem fundo de pedra, mas o tubo gira roda da mesma maneira. Inclusive, quando é fundo de areia o caldo é muito mais difícil, muito mais forte que o fundo de pedra. De pedra você tem o perigo de bater de cabeça em uma pedra, mas o de areia te gira muito mais embaixo d’água, você fica mais tempo ali girando se tiver no lugar errado", afirmou.

Rajzman completa falando sobre a habilidade dos brasileiros em lidarem com as vacas em fundo e areia. "Só complementando o motivo do caldo no fundo de areia ser mais difícil é justamente o motivo dos brasileiros se darem tão bem como Medina, eu e outros tantos brasileiros que se dão bem em ondas tubulares. Porque a gente fica blindado, essas ondas com fundo de areia o caldo é tão difícil, tu nadar ate a arrebentação, não tem canal...Então quem surfa ondas grandes e tubulares no Brasil certamente vai surfar ondas grandes e tubulares em qualquer lugar do mundo", finaliza.