Buscar

Projeto social leva o surf a mulheres com mais de 40 anos


Uma parte das alunas em uma dia de treino em Geribá. Foto: Divulgação

Na Região dos Lagos, na cidade de Búzios, um projeto social vem chamando atenção do mundo do surf. O Na Onda Delas é um projeto que ensina mulheres com idade acima dos 40 anos a praticarem o esporte, na Praia de Geribá. A sua fundadora, Maria Belen, foi motivada a iniciar no surf pelos seus filhos aos 43 anos. Ao começar a praticar regularmente o esporte, a Belen, como é conhecida, percebeu que não tinha parceiras da mesma idade para cair juntas. Pronto. Essa foi a motivação para o início da história.

Para incentivar as minas, segundo a Belen, é realizado um Surf Treino (campeonato amador) de 6 em 6 meses. O objetivo é dar oportunidade para elas experimentarem um campeonato, conhecerem regras e como são computadas as manobras. Ainda de acordo com a Belen, é o único campeonato amador, que vai para a sua terceira edição, neste formato. O Blog Cutback conversou com a organizadora do projeto que contou como tudo começou. Confira!


Felicidade ao subir na prancha. Foto: Divulgação

Cutback: Quando e por que você iniciou o projeto?

Maria Belen: O Na Onda delas é um projeto sem fins lucrativos, o primeiro grupo de surf feminino de Búzios. A organização nasceu no final de abril de 2018. Comecei a surfar (por incentivo dos meus filhos) aos 43 anos, e logo percebi a falta de colegas para praticar o surf. Não podemos esquecer que na sua maioria é um esporte praticado por jovens e homens. Chamei minhas amigas, sendo no primeiro encontro 12 mulheres adultas.

Cutback: Qual a faixa etária das "mulheres maduras"?

Maria Belen: Consideramos maduras as mulheres acima de 40 anos. A faixa etária é uma inovação, ampliando logo o número de integrantes já que as praticantes chamam as amigas e assim se amplia logo o círculo de amizades e colegas no mar.

Cutback: As aulas são dadas por uma equipe?

Maria Belen: São aulas de três horas de duração, administradas por profissionais. Os professores são voluntários, que se encantam e acompanham a evolução das alunas.

É uma organização que visa incentivar a prática do surf, o bem estar físico e ligado diretamente na autoestima da mulher. Hoje o projeto atende uma média de 45 mulheres por aula, tendo 70 inscritas (que por compromisso não comparecem regularmente).


Toda teoria do surf é passada as alunas. Foto: Divulgação

Cutback: Como as mulheres reagem ao convite?

Maria Belen: As mulheres por impulso respondem que "o surf não é pra elas", mas logo que chegam para conhecer o projeto, acabam entrando no mar e dropando as ondinhas.

Cutback: Uma grande marca cedeu pranchas para o projeto, não é mesmo? Poderia contar um pouco dessa história?

Maria Belen: No ano 2018, o projeto foi escolhido para o Programa de Aceleração social na área esportiva da Oi junto com o Instituto Ekloos. O programa possibilitou que o Na Onda Delas pudesse criar o seu planejamento estratégico e operacional. Obtendo também o primeiro material necessário para a prática e andamento do projeto na praia. Temos agora 8 pranchas próprias.


Mulheres unidas em prol do surf. Foto: Divulgação

Cutback: Como faz para entrar no projeto?

Maria Belen: Para participar das aulas, é só chegar à praia [de Geribá] e preencher a ficha de inscrição. Desta forma, sem uma data fixa de inscrição, podemos atender o ano inteiro as interessadas em participar.

Cutback: Pretende expandir as aulas para outras praias ou até mesmo outra cidades?

Maria Belen: Buscando expandir o impacto e atrair cada vez mais mulheres para o surf, o projeto tem o objetivo futuro de ser uma franquia social que deverá ter como requisito o desenvolvimento do voluntariado entre os professores, as monitoras e as colaboradoras das aulas, mantendo custo baixo e possibilitando a realização em várias cidades litorâneas do Brasil.

©2019 by Blog Cutback. Proudly created with Wix.com